sábado, 22 de novembro de 2008

Pakse - Champasak

Pelo guia eram 50 km. Tudo aqui fica ao longo da estrada por isso ia sem prestar atencao ao mapa, a pensar qd me estiver a aproximar vej melhor. 50 km num dia nao e muito, e bastante acessivel por isso parti tarde e sem preocupacoes...qd ja tinha feito 50 km comecei a ver melhor o mapa.... bem nem podem imaginar o erro...tinha de ter virado no km 30 e ja ia no 54...tinha de voltar a fazer o caminho quase todo no sentido inverso...o que deveria ser apenas 50 km transformou-se em 90!!! muito diferente em cima de uma bicla!
Champasak fica numa ilha no sul do laos, uma ilha no mekong. A maior atracao saoos templos, principalmente um grande complexo da altura dos kmers, ou seja da mesma epoca dos tempos de angkor vat e em tudo semelhante. Nao tem a imponencia de angkor mas mesmo assim e muito bonito e interessante e valeu a pena ter ido la. era suposto ficar so um dia, mas como no primeiro cheguei demasiado tarde decidi ficar dois dias para ver o templo com calma. O resto do dia foi passado a ler com um sumo de fruta na mao (varios sumos de fruta) e um bom livro - Tres Chavenas de Cha - Muito muito bom, mas com um problema. O livro foi comprado aqui em segunda mao, em ingles (depois de dois meses ja penso em ingles e tudo por isso sem problema) mas alem de nas ultimas paginas ter uns comentarios idiotas feitos por alguem, esse mesmo idiota arrancou as duas ultimas paginas do Livro!!!!
No dia seguinte, voltei a encontrar alguns turistas conhecidos, um casal de alemaes antes do pequeno almoco que me disseram que o anui estava por la e que estava a ver se me encontrava para fazer-mos a viagem ate as ilhas juntos. Perfeito pensei, vou variar do Ipod. La o encontrei e partimos ainda eram oito. O inicio foi muito bom para mim, estou em forma e ele notou isso hehe e eu como ando sempre sozinho nao noto, ele como tem andado com mais gente notou...isso fez-me sentir mesmo muito bem. Pelo caminho encontramos um grande grupo de cicloturistas numa viagem organizada, ingleses e mesmo assim simpaticos :) e sem querer iamos, iamos nao, provocamos um acidente, eu perguntei se ele queria parar para beber, ele travaou ligeiramente, a mulher que ia ao lado dele travou a fundo e derrapou mas aguentou-se, mas o ciclista que ia atras dela albarroou-a completamente, espalharam-se na estrada mas sem problema...mas haviam de ver estavamos numa aldeia, e o pessoal ao ver um falang a cair desatou a rir, riu-se a aldeia como uns perdidos...O restodo caminho eu ja me sentia mais cansado e fomos ao mesmo ritmo, mas sempre rapido, media de 22 km/h o que significa com as paragens e alturas que temos de abrandar por algum motivo que iamos sempre acima de 25km/h muito bom mesmo. O almoco foi dos melhores. Km sem ver ninguem e derrepente um barraco, decidi parar e estavam 3 turistas, dois americanos e um espanhol que tinham pedido boleia e estavam a almocar com o pessoal que lhes tinha dado boleia. Eram do Laos mas com dinheiro e um bom carro, tinham um filho a estudar nos estados unidos na mesma terra do americano...coincidencias...o espanhol era de vigo e chamava-se carlos...o almoco foi de borla, carne, arroz, e cerveja e depois de cheios...estavamos esfomeados patimos novamente. A viagem custou, foi outra vez 120 km...(ja estou em 1900 e qq coisa) mas compensou...cheguei ao paraiso...ou perto disso, mas cheguei apenas ontem e ainda sao nove da manha pelo que ainda nao deu para ter uma ideia muito certa. Estou em Don Det, uma das ilhas do mekong, na zona conhecida por 4000 ilhas. O meu quarto custa 1,2 euros, e e apenas uma cama e um mosquiteiro, mas tem varanda e cama de rede. Fica em cima do rio que e onde tomo banho. Em frente, do outro lado um templo no meio de coqueiros...acho que descobri outro dos paraisos, que vou conhecendo enquanto viajo e vou ficar aqui uns dias...depois se vera.

Cara conceicao ha algumas coisas importantes trazer para o Laos. Primeiro alguma paciencia e um sorriso, resolve quase tudo. E imprescindivel ter uma lanterna, medicacao basica como anti inflamatorio, analgesico, desinfectante, medicacao para enjoos, e claro profilaxia contra a malaria. Quem usar lentes de contacto tb nao as vai encontrar aqui (mas encontra em BKK mais baratas).Toalha tb e preciso porque alguns locais so tem acomodacao muito basica e pode faltar e or isso saco cama tambem. uma mulher tem de trazer tudo o que precisa que aqui nao ha muitas disponibilidade. Sitios imprescindiveis depende do objectivo. Tribos e no norte, Em Luang Nan Tha e principalmente na terra que eu referi numa das mensagens. Culturalmente o High Light e Luang Prabang, nao so do laos como do sudueste asiatico. A capital e agradavel mas nao fabulosa. Para relaxar nada melhor que onde estou, don det e veng vieng no norte. O resto e descobrir.

7 comentários:

m disse...

Carlinhos fico mesmo contente por teres um amigo iberico novo! São tantos dias só que sentir uma identificação/proximidade cultural com um estranho deve ser algo muito agradavel de se viver! Começo já a sentir-te fazer o caminho de regresso a casa... que bom! Beijinho com muitas saudades

Anónimo disse...

Carlos:
Essa dos holandeses de 65 anos andarem a viajar despertou-me um certo interesse.
A tua mãe vai começar a ter aulas de condução de bicla na próxima semana!!!!
Beijos e saudades do tru Pai

Rúben Lima disse...

Carlitos,
Não é que seja grande notícia mas deixo-te aqui uma cópia do que saiu hoje no Público para que estejas informado devidamente!
"O novo aeroporto internacional de Banguecoque, Suvarnabhum, teve que ser hoje encerrado após uma invasão por parte de centenas de manifestantes antigovernamentais da Aliança do Povo para a Democracia."

Um abraço do amigo papá,
Rúben

Anónimo disse...

Tas tramado,

Tas contaminado pelo virus da viagem,

Q eu saiba ainda nao inventaram vacina.

Prevejo tempos de agonia qd regressares!

Manel

Aqui ta uma neve dos diabos.
Ja fiz 3 cesareanas e nenhuma morreu.
todos os dias faco car-ski, e fixe!

Rúben Lima disse...

ska-nevass-faziaz-ka-ski

Rúben Lima disse...

Agora a notícia mais completa para estares bem informadinho!
O governo tailandês rejeitou esta quarta-feira a proposta do chefe do Exército, general Anupong Paochinda, de dissolução do parlamento e convocação de eleições antecipadas para ultrapassar a profunda crise política que atravessa o país, anunciou um porta-voz oficial. «O primeiro-ministro (Somchai Wongsawat) já afirmou várias vezes que não vai apresentar a demissão, porque foi eleito de forma democrática. E isso mantém-se», afirmou o porta-voz do executivo tailandês, Nattawut Saikuar, em declarações ao canal três da televisão estatal.

Os confrontos entre os apoiantes e opostitores do Executivo já se alastraram, entretanto, da capital para a segunda maior cidade do país, Chiang Mai, de acordo com a CNN.

A liderança de Wongsawat tem sido fortemente contestada pelos apoiantes da Aliança do Povo para a Democracia, principal coligação de oposição, que tomaram de assalto vários locais da capital tailandesa.

A Aliança acusa o governo de corrupção e de ser uma marioneta ao serviço do antigo primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, deposto por um golpe de Estado em 2006.

O chefe de Estado-Maior do Exército da Tailândia pediu esta quarta-feira ao primeiro-ministro para organizar novas eleições e instou os manifestantes anti-governamentais a retirarem-se todos os locais que ocupam, incluindo o aeroporto internacional de Banguecoque, desde terça-feira à noite.

«Não é um golpe de Estado», declarou Anupong Paojinda, para justificar o apelo que fez durante uma conferência de imprensa depois de ter participado numa reunião urgente de responsáveis militares e económicos.

O secretário de Estado das Comunidades, António Braga, já garantiu que os portugueses na Tailândia, tanto residentes como turistas, estão bem e que a situação no país «está calma»"

A pergunta que se te põe é:
O António Braga (e conseguiu falar cntg???!!!) ligou-te por causa do teu regresso ou já não passas pela Tailândia? Eheheheh!!
Cuidado nesse regresso meu amigo! Abraço e bom retorno!

cherry disse...

Pois é...já está próximo o regresso... Depois temos de ir tomar um café para conversar. Estou aqui com o JM q está a fazer contas para ir viajar...já lhe sugeri ir de bicicleta como tu mas não fui muito convincente. Temos tanto que falar... sobre árvores de Natal, os enfeites, no seu melhor...
Beijos